Turnê com uma banda de rock? Yes I did (again)!

Fez 1 mês que voltei de uma das viagens mais legais que ja fiz na vida e a sensação que tenho é que faz uma década. Não sou musicista e nem tenho aptidão para tal, mas consegui juntar duas das minhas paixões e transformar em trabalho: música e marketing.

Relatei minha primeira turnê internacional quando ainda escrevia para o Garotas Nerds e agora depois de reler o post e estar com a cabeça cheia de parágrafos pra escrever esse posso afirmar que foram experiências completamente diferentes (apesar de ser a mesma situação e o mesmo país: EUA).

Como sou fã de uma boa lista cheia de tópicos vou enumerá-las aqui:

– Dessa vez foram 45 dias morando em um ônibus ( na 1°turnê  foram 25 dias)


Home Sweet Home

– E desses 45 dias, uns 31 tiveram temperatura oscilando entre 0° e -15°C e consequentemente vi neve caindo pela primeira vez *____* ( já tinha visto neve quando fui pra lá na NAMM)

neve

– 15ºC e 11 cm de neve em Pittsburgh/PA

– Foram 26 estados e 33 cidades. Pra quem só conhecia a California foi um belo upgrade, não?

flyer
Pôster oficial da Take Action Tour 2013

– Literalmente passei pelas cidades. Não dá pra fazer turismo ou conhecer muito mais do que o quarteirão da casa de show. Salvo um dia de folga que eu realmente turistei, que foi em Nova York  e vou escrever um post só sobre ele.

NY
New York,  New York

– A turnê era itinerante e viajamos com mais 3 bandas (The Used, We Came As Romans e Crown The Empire) e a faixa etária do público era de 13 a 21 anos, o que me fez aprender várias gírias em inglês e novos padrões de comportamento dessa molecadinha marota da terra do tio Sam.
Na outra turnê, viajamos com uma banda só (os oitentistas do UFO) e a faixa etária era de 30 – 60 anos e  graças a esse extremismo do público eu cresci muito como profissional, afinal públicos diferentes se comportam, valorizam e consomem de maneira diferente. (vai render um post sobre isso também ;])

– Nunca sabia que dia da semana estavamos. Apesar de ter uma rotina de trabalho meus dias eram separados em dias de folga e dias de trabalho :) E pra quem está se perguntando o que eu fazia lá, vou explicar:

Nos dias de show meu trabalho era montar o “merchandising” ou espaço para vender os produtos da banda),

merch“Lodjinha”

Tirar fotos (sim, ataquei de fotógrafa!),

MillwaukeeMilwaukee/WI

e dar assistência para a banda em relação a equipe americana que estava trabalhando conosco.

crewMikey, Sam, Boyd e Brian – minha “tchurma” americana

E nos dias de folga, aproveitava para dormir e descansar atualizar as redes sociais e manter todo mundo informado sobre o que estava acontecendo na turnê.

– Fazer parte de outra turnê internacional foi do caralho, agora fazer parte de uma turnê internacional com uma das bandas que você gosta é PQP OMG que foda!! Assisti 33 shows do The Used e a admiração por eles só aumentou. E cá entre nós,  as músicas soam MUITO melhores ao vivo.

the usedMindFlow e The Used no final da turnê o/ 

– Adoro celebrar momentos e experiências me tatuando e dessa vez não poderia ter sido diferente. Dessa vez pensei grande e fui até o “High Voltage Tattoo”. (Se o nome soa familiar, é o estúdio da Kat Von D onde também é gravado o programa “LA Ink”).
Escolhi tatuar um floco de neve em forma de mandala, afinal… vi neve caindo pela primeira vez durante a turnê e a mandala também é um símbolo de circulação de energia fechando assim esse ciclo que foi a turnê pra mim.

mojoMr. Mojo Foster e sua arte!
Super profissional, gente boa e fã incondicional de Eagles of the Death Metal m/

Pretendo escrever outros posts abordando assuntos mais específicos de fatos que rolaram na turnê como:  micos, a parte do business mesmo (organizar, trabalhar, fazer acontecer), dicas das cidades e de viagem, expressões que aprendi em inglês, perrengues e muito mais.
Aliás, se vocês quiserem saber algo ou tiverem sugestões e curiosidades sobre essa minha aventura é só berrar aqui nos comentários que eu te leio e escrevo.

E pra finalizar, um vídeo com algumas cenas da turnê. (além de fotógrafa também fui “sombra” do pessoal filmando tudo e todos sempre que possível).

2 Comentários

  1. Putz que daora, cai aqui por conta o last.fm, adorei esta postagem :) vou ler sobre a outra turne :D

    Responder
    • Valeu Rodrigo!
      Espero que goste :]

      Responder

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *