E a japa a fiar…

A não exato 1 ano atrás eu vi um retweet da @GabiButcher pular na minha timeline sobre aulas de costura e costurar pra mim sempre foi aquela coisa de “quero, preciso e não sei”. Boa notícia? Não é mais :]

Acessei o site da agora então “Rainhas da Costura” e mandei um email para Patrícia (agora, Pat) perguntando sobre o curso e tudo mais. Na época que entrei em contato e agendei as aulas eu mal podia imaginar o quanto elas seriam importantes pra mim e já conto o porque.

Falei com a Pat em Abril e no começo de Maio, dias antes de ter a primeira aula, meu coração sofreu uma decepção e então estava naquela época da vida que nada faz sentido, nada importa e só-vou-escutar-banda-emo-e-dane-se-o-mundoe-não-me-julgue.
Indiretamente (ou não) parecia que o Universo tinha me enviado o curso pra me confortar.

Terminando a parte mimimi do post, vamos ao que interessa!

Entrei no ateliê (coisa mais fofa!) e lá um mundo de possibilidades e novos desafios se abriu pra mim. Fazia tempo que não me desafiava a fazer algo completamente novo.
E desde a primeira aula a Pat foi super paciente e após a apresentação à  máquina de costura, aprender a passar a linha e pisar no pedal com delicadeza (leia “com delicadeza = “não achar que tá jogando Datona e que tem que ganhar a corrida por tudo no mundo”) lá estava eu costurando!

E pra quem pensa que só ficou no bem-bom, que nada!
Encarei meu primeiro desafio projeto:  fazer uma capa pro meu falecido Kindle e não é que aos trancos e barrancos e mediante a dificuldade de não saber lidar com proporções e confirmar que minha noção de espaço é horrível, eu consegui? Muito orgulho do meu primeiro filho de agulha e linha.

O curso acabou e ficou a sementinha de levar isso adiante.
Em setembro, comprei minha máquina de costura e enrolei até tempos atrás pra tirá-la da caixa e voltar a costurar. Arrumei uma mesa decente, comprei tecidinhos e linhas e fiz um cantinho em casa pra poder me dedicar com mais afinco a essa atividade.

E enquanto não abre vaga pra continuar o curso com a Pat, vou aos poucos destruindo treinando numas peças aí o pouquinho que aprendi.

Fica a dica e a moral do post de hoje, amiguinhos: desafie-se! Você nunca sabe do que é capaz até tentar.

Obrigada, Pat e Eliane por me ajudarem a vencer esse desafio. E que venha o módulo dois e mais peripécias “costureirísticas”! o/

8 Comentários

  1. Parabéns pelo resultado! Eu também gostei muito do trabalho. Estou tomando coragem e tentando encontrar tempo entre as provas e trabalhos para fazer uma capinha para o meu! Vc me inspirou!! rss ;)

    Responder
    • Ahhh tenta sim! Vou ficar aqui torcendo para que consiga arrumar esse tempinho! Ainda não fiz a minha “definitiva”, mas já to com todo material aqui. Fico feliz em saber que te inspirei! Que honra! Depois se fizer, colocar o link aqui pra eu ver como ficou :]

      Responder
  2. Gostei muito, Alê! É isso aí! Qual é a graça da vida se não pudermos nos atirar em novos desafios? Tô contigo!
    Beijos
    Helena

    Responder
    • Brigada Helena!
      O mais dificil é sempre o primeiro passo e nesse caso a jornada tornou-se mais gratificante que o resultado :]

      Responder
  3. Ahhh, que legal ver mais e mais meninas se divertindo entre tecidos, linhas, tintas, fitas, botões e afins….

    Não tem como ficar triste com estampas alegres ao redor. Lindo post!! Parabéns!

    Responder
    • Brigada Aline!
      Meu sentimento é o mesmo!
      Cada vez mais é muito legal saber que tem gente trocando o computador pela máquina de costura, linhas e pincéis :]

      Responder
  4. HAAHAHAH amei o título da postagem, amei!
    Vc é muito querida, Alê. E caprichosa demais, vai longe!
    beijo grande,
    Pat

    Responder
    • Brigadaa Pat!
      Você é parte disso e me faz querer ir cada vez mais longe :]

      Responder

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *