Como saber a hora certa de demitir um cliente?

Pois é… A vida toda sempre estivemos do outro lado da mesa, onde somos demitidos ou ameaçados de demissão pelo cliente ou empresa caso não cumpramos com o combinado ou as expectativas dele não sejam atendidas. Mas, o que acontece muito quando somos freelancers é que naturalmente ganhamos o “super poder” de demitir clientes. Pode soar insano e sem fundamento pensar em demitir cliente quando você é a sua própria empresa e ter as contas pagas depende deles, mas é certo que existem clientes que não valem o dinheiro e nem as noites de sono mal-dormidas. Assim como na vida pessoal temos que aprender a falar não, na profissional também. Sinais de que é hora de parar e pensar se está valendo a pena Falta de respeito Se tem algo que a gente não deve tolerar é falta de respeito. Não é porque o cliente paga que ele pode pintar e bordar em cima de você e pra mim, em qualquer relação, se não tem respeito não rola. E a falta de respeito vai desde a maneira como ele te trata e passando principalmente pela maneira como ele trata o seu trabalho e as condições que foram combinadas no ato da contratação. O santo não bate Tem outra situação que aprendi a identificar: simplesmente não consigo trabalhar quando os propósitos e valores do cliente não batem com os meus. Tem cliente que vai tentar o “topa tudo por dinheiro”, que é negligente com a própria marca e imagem, enfim… é hora de pensar se vale a pena mesmo trabalhar com algo contra a sua vontade mesmo que a moeda de troca seja um...

Tabela de serviços especiais

Quando vi essa “Tabela de serviços especiais” circulando lá na outra rede social (que cá entre nós eu mal frequento) não aguentei e tive que compartilhar. Afinal, quando você é freelancer parece que esses “serviços” viram o foco do trabalho. Lembrança/ensinamento do meu Mestre pra vida: seu tempo é o seu bem mais...

Desistir é vencer?

Um grande amigo meu é fã de uma frase que sempre me intrigou. A tal frase “desistir ainda é vencer” vira e mexe aparece em algum contexto da minha vida e eu fico tentando entender como desistir de algo pode ser uma vitória, afinal aprendemos que desistir geralmente está relacionado a perda ou algo ruim. Pois bem, hoje talvez eu finalmente tenha entendido um pouco dessa frase. Conversando com um outro grande amigo meu (praticamente o meu guru nessa nova jornada de freelancer. Salve Mestre!) ele disse outra frase que deu o estalo: “desistir não significa que você perdeu, só deixou de fazer parte de algo”. Recentemente meu trabalho e competência foram colocados em questão e isso fez eu parar pra pensar e forçadamente fazer um balanço desses 5 meses de freelancer. “Está valendo a pena? Eu realmente sirvo pra isso? Será que um dia vou conseguir aprender a lidar com as pessoas e saber expor claramente o  meu ponto de vista?”  Todos os medos e questionamentos vieram á tona e claro que a tendência é sempre puxar pro lado pessimista e responder “não” para todas as perguntas, fechar o caixa, fazer as malas e partir pra outra. Coincidência ou não, semana passada, li um artigo que fala sobre profissionais que ao optarem por tirarem períodos sabáticos, voltam com energia, criatividade e disposição redobrada pra mais uma jornada de trabalho.  Juntei 1+1 e…. BUM: 2. Refletir, pensar e conversar com pessoas que eu considero e confio me fizeram ter coragem de pegar impulso e dar o último respiro. Ter essas pessoas por perto quando a dúvida bater é fundamental....

Share POA 2015: vídeo-resposta @estevaosoares

Em Março, eu estive no Share POA 2015 e foi simplesmente incrível! Ainda estava naquele momento entre CLT x MEI e escutar todos aqueles profissionais falando sobre seus casos de sucesso e insucesso foi determinante e motivador para que eu seguisse em frente na minha jornada de freelancer. Fiz umas 40 páginas de anotações a mão e a minha intenção era ter transcrevido e postado logo após o evento mas ~shame on me~ainda não consegui parar e fazer isso de maneira decente e compartilhável. Mas, se tem algo que eu já posso e devo compartilhar é o vídeo-resposta do Estevão Soares pra mim. Ele palestrou lá no Share e falou sobre “Inteligência de Negócios em Mídias Sociais: como, quando e porque” e se disponibilizou a responder em vídeo todos que enviassem perguntas via Twitter pra ele. Eu perguntei como aplicar a inteligência e identificar o objetivo do cliente em pequenas empresas e ele me deu uma resposta que me ajudou a mudar toda a minha forma de trabalho. O som tá baixinho, mas coloca o fone de ouvido e aproveita essa dica de ouro do Estevão!...

Como me tornei freelancer

Desde que resolvi tentar ser independente e abraçar as estatísticas da minha geração tenho enfrentado e tendo que lidar com vários conflitos internos e externos. O que era pra ser um teste de “algumas semanas” já tem durado 4 meses e a cada dia é uma novidade. Antes eu lidava com o medo e insegurança da estabilidade financeira. “E se eu não ganhar o suficiente pro aluguel?”, “E se ninguém quiser me contratar?”, “E se eu falhar?”… E se, e se, e se… Quase fui paralisada por essas duas palavrinhas. Surtei e antes de tomar qualquer decisão, como todo ser humano em constante evolução, fugi. Fiquei 1 semana no meu porto seguro, São Paulo, respirando civilização, escutando conselhos e digerindo as possibilidades. Ok, decisão pré-tomada. Pega avião de volta e recomeça. Arrumei home-office, li toneladas de artigos de como melhorar a produtividade trabalhando em casa, preparei esquemas de trabalho, atualizei o Linkedin, reformulei meu site e mesmo assim nem teria ideia do que viria pela frente. Tirando todas as minhocas superestimadas da minha cabeça grande, o que veio foi simples: TRABALHO. O bom e velho trabalho, que eu sempre executei e soube executar, mas como uma diferença gritante: agora ele era livre. Eu poderia fazer o que quisesse, da maneira que eu julgasse correta, aplicar o que eu achava certo e sem as amarras de um superior ou metodologia de trabalho. E hoje, escrevendo esse post, eu vejo que é isso que mais dá medo; essa liberdade de finalmente colocar em prática o “se eu pudesse faria desse jeito”. Os méritos são meus e as consequências também. Assumir as rédeas do...

Programa do Avesso – Redes Sociais

E eu, que desde os bons e velhos tempos de Garotas Nerds não tinha mais aparecido na mídia, eis que no dia 1º de Abril eu estava lá no estúdio da Rádio Som Maior FM – 100,7 aqui em Criciúma pra falar sobre marketing digital e redes sociais no Programa do Avesso dos queridos Mano Dal Ponte e Pity Búrigo. E não, não é pegadinha do dia da mentira não! Fiquei super feliz com o convite, ainda mais nessa nova fase da minha vida profissional. Pra quem não conseguiu escutar no dia, consegui o áudio do programa e é só apertar o play aqui embaixo e escutar! ;) Redes sociais citadas durante o programa: Facebook – Linkedin – Twitter – Snapchat – Instagram – Tinder...