Almoço de Páscoa em Gramado

E quase 2 meses depois eu tomei vergonha na cara e escrevi sobre o meu incrível almoço de Páscoa em Gramado. A saga começou em Caxias do Sul e inesperadamente teve o final mais doce e feliz ever. Conhecer Gramado sempre esteve nos meus planos mais remotos e bem antes de eu sonhar que um dia fosse morar tão perto de lá. E aconteceu. Num lindo Domingo de Páscoa em meio a trocentas mil pessoas que também escolheram Gramado como destino. O caminho No caminho de Caxias para Gramado passamos por uma cidadezinha linda chamada Nova Petrópolis. Um charme! Eu nem sabia pra onde ia e já estava planejando voltar ali pra conhecer aquele pedacinho da Europa no meio do Rio Grande do Sul.  Se não fosse o trânsito teríamos chegado la em 1 hora, mas o percurso durou quase 2 horas e acredito que na alta temporada e outras datas comemorativas não seja diferente. E prepare as moedinhas já que um pouco antes de chegar em Gramado tem um pedágio no valor de R$5,28! E depois do pedágio, da-lhe mais estrada e trânsito até que eu me dei conta que sim, era verdade. Gramado estava ali na minha frente! *__* Gramado a pé Depois de passar pela entrada, seguimos em frente e em poucos minutos estávamos naquela Gramado de fotos que eu sempre desejei conhecer. E o melhor: estava frioooooo! \o/ Estacionar o carro era quase uma missão impossível, independente de estacionamento privado ou na rua mesmo. Para a nossa sorte, achamos uma viela muito bem localizada na famosa Avenida das Hortênsias. Paramos o carro lá e fomos explorar a cidade...

Caxias do Sul: LaCave Castelo

Eu ia fazer um post só contando como foi esse feriado de Páscoa, mas ele foi tão sensacional que vou dividí-lo em vários posts para que nenhum detalhe se perca. Não tinha nada planejado a não ser faxina e ficar de pernas pro ar quando o Guilherme veio com uma proposta desconhecida onde eu só teria que coloborar com a divisão de custos. Quase não gosto de aventura, né? Topei na hora, ainda mais depois de da surpresa do dia anterior que foi passar o dia na Serra do Rio do Rastro com direito a piquenique e tudo. :] Saímos aqui de Criciúma no sábado pela manhã e pegamos a BR-101 sentido Sul. Já gostei, afinal sou apaixonada pela região. Depois de algumas horas de estrada e uma vista linda da serra (a chamada “Rota do Sol”, que fica na BR-453), destino revelado: Caxias do Sul. Aí você deve ter feito a mesma pergunta que eu me fiz: “por que Caxias do Sul? O que tem lá?” Na verdade, Caxias era só uma parte do plano que eu mal sonhava qual era. Todos os hotéis da cidade estavam lotados e a explicação para isso e a resposta para a pergunta acima é que Caxias do Sul é uma cidade de “passagem” que conecta várias outras cidades turísticas da região. Além disso, é uma cidade com vários pontos turísticos e bem conhecida por suas vinícolas e restaurantes. Hospedagem O Guilherme conseguiu uma vaga no Hotel Pousada Caxiense e achei o preço pelo custo-benefício bem salgado: R$ 204.00 a diária com direito a café da manhã. Acredito que fora de temporada ou feriado seja mais barato....

Serra do Rio do Rastro e Bom Jardim da Serra

Sexta-feira Santa e o cronograma era acordar cedo pra fazer um piquenique. Não sabia onde ia ser, só sabia que deveria estar a postos e pronta para passar o dia fora. Também recebi a orientação para levar um casaco, pois poderia passar frio, mas jamais imaginaria que o destino seria a Serra do Rio do Rastro. Minha primeira vez lá foi em Julho de 2012 e já tinha ficado encantada com o que vi. As curvas são bem sinuosas e lembro de ter deixado uma dica no Foursquare dizendo que a serra de Santos tinha ficado no chinelo. E reafirmo. Voltando lá agora pude sentir de novo o quanto a serra é incrível. A subida leva em torno de 1h e se você enjoa fácil prepara o Dramin. A estrada é estreita, as subidas são íngremes e as curvas bem fechadas e se você for o piloto, atenção redobrada, pois em vários trechos é necessário parar e dar passagem para quem está vindo no sentido contrário. Também é possível parar em certos trechos para apreciar a paisagem e tirar foto. Chegando no topo (são 1.430 metros de altitude), a vista é daquelas de tirar o fôlego. Achamos um cantinho mais afastado para estender as toalhas e desfrutamos ali do nosso piquenique. Se você não encara essa versão do passeio, existem algumas tendas vendendo produtos coloniais e souvernirs da Serra, além de uma cafeteria onde o preço é exorbitante (2 cafés e 2 pedaços de torta =R$25,00). Depois do piquenique, pegamos uma estradinha de terra no sentido oposto do mirante e seguimos rumo ao Parque Eólico de Bom Jardim da Serra, município que também abriga a Serra...

Turnê com uma banda de rock? Yes I did (again)!

Fez 1 mês que voltei de uma das viagens mais legais que ja fiz na vida e a sensação que tenho é que faz uma década. Não sou musicista e nem tenho aptidão para tal, mas consegui juntar duas das minhas paixões e transformar em trabalho: música e marketing. Relatei minha primeira turnê internacional quando ainda escrevia para o Garotas Nerds e agora depois de reler o post e estar com a cabeça cheia de parágrafos pra escrever esse posso afirmar que foram experiências completamente diferentes (apesar de ser a mesma situação e o mesmo país: EUA). Como sou fã de uma boa lista cheia de tópicos vou enumerá-las aqui: – Dessa vez foram 45 dias morando em um ônibus ( na 1°turnê  foram 25 dias) Home Sweet Home – E desses 45 dias, uns 31 tiveram temperatura oscilando entre 0° e -15°C e consequentemente vi neve caindo pela primeira vez *____* ( já tinha visto neve quando fui pra lá na NAMM) – 15ºC e 11 cm de neve em Pittsburgh/PA – Foram 26 estados e 33 cidades. Pra quem só conhecia a California foi um belo upgrade, não? Pôster oficial da Take Action Tour 2013 – Literalmente passei pelas cidades. Não dá pra fazer turismo ou conhecer muito mais do que o quarteirão da casa de show. Salvo um dia de folga que eu realmente turistei, que foi em Nova York  e vou escrever um post só sobre ele. New York,  New York – A turnê era itinerante e viajamos com mais 3 bandas (The Used, We Came As Romans e Crown The Empire) e a faixa...

NAMM Show 2012

Pra quem não tá familiarizado com a sigla ou com o evento, vamos lá: NAMM  é a sigla para National Association of Music Merchants (algo como Associação Nacional dos Músicos e Comerciantes) e anualmente promovem duas edições da feira NAMM Show, uma em janeiro (a Winter NAMM) e a outra em julho (Summer NAMM). É a 2ª maior feira da música do mundo e a maior do setor nos Estados Unidos e  só perde para a MusikMesse em Frankfurt, na Alemanha. A edição de janeiro é realizada em Anaheim, na Califórnia e é a responsável pelo lançamento das maiores novidades do setor no mundo (instrumentos musicais, acessórios, equipamentos, tendências, business…) foto: Guilherme Spiazzi Aviso aos navegantes: a NAMM não é uma feira aberta ao público e não é só chegar lá e comprar ingresso pra entrar. Depois de dar o primeiro passo e correr atrás de visto pros EUA, passagem barata, hospedagem e credencial pra entrar na feira. (um super super super obrigada pela badge, Odery!!) lá estava eu pulando e agradecendo ao Universo por ter colaborado com o prazo super curto que eu tive pra conseguir as coisas citadas acima. A NAMM rolou entre os dias 19 e 22 de janeiro e já que tava indo pra terra do tio SAM novamente, aproveitei pra ir uns dias antes e passear em Los Angeles (já que desembarcava  e embarcava de volta pro Brasil de lá). Depois de fazer contas (ônibus pra Anaheim + táxi pra andar por lá + ônibus pra voltar pra LA + táxi pra andar por LA ) e pensar bastante no quesito “mobilidade” eu e...

San Diego: Day 1

  Now playing: Raw Sugar – Metric Horário local: 18h45 Bom, se eu for usar uma palavra pra definir meu primeiro dia aqui essa palavra será: desastroso. Cheguei do aeroporto e deixei as coisas aqui e fui no mercado (que é 24h o/) Aliás, aqui é super legalzinho! Logo que você entra tem a pia, geladeira, armários e microondas, e seguindo já em uma mesa e a cama de casal. Banheiro grande e com banheira! o/ Fiquei mais de 1h lá no mercado andando de um lado pro outro igual barata tonta. É MUITA informação, MUITA embalagem ( enormes por sinal). Aííííííí, a ANTA aqui comprou uma super berinjela congelada e natureba e DOIS LITROS de 7UP! o/ eeeee… esqueceu de comprar prato e talher. Conclusão, continuei com fome. Bom, voltei pra cá e desfiz as malas. Começou a bater uma tristezinha junto com a fome (afinal, eu não comia desde o sábado a tarde na minha casa. Comida de avião não conta) e decidi ir ao shopping pra comer alguma coisa e comprar um adaptador pra tomada (porque aqui a tomada padrão é 2 pinos quadrados e 1 redondo). Entrei em uma loja que tem TUDO de música/games/filmes. Momento “enlouqueci” , parte I. – RB Beatles por $99. Lá não tinha o adaptador. Achei em outra loja e me custou $18. Momento “enlouqueci” , parte II. Quanta coisa pra comer e NENHUMA presta. Engordei mais 5kg só de olhar. Optei por um pedaço de pizza e salada. $8. Momento “enlouqueci” , parte III. Logo, amanhã irei ao mercado com uma lista e farei compras decentes pra comer aqui...